segunda-feira, 25 de maio de 2015

Os autoajudadores (Dantas de Sousa) - ideia



Há escritores que vendem a motivação como mercadoria rentável. São doutores em pensamentos positivos, os quais vendem milhões de livros. Além disso, há entre eles os que comercializam palestras motivacionais. 

Muitos desses profissionais de autoajuda se usam de belíssimas frases para adquirirem clientes fiéis. Eis algumas dessas pérolas:

“O poder está na sua consciência”

“A sua motivação é o segredo para a felicidade sem limites”

“Mentalize seus desejos e eles acontecerão” 

E, assim, brincando com as dificuldades dos outros, enriquecem-se.

Entretanto, esses “autoajudadores”, ou “experts” da motivação, manuseando em seus escritos a questão sobre o sentido da vida humana - e isso se torna visível - estão colocando DEUS - Pai Criador - de lado, como coisa secundária, se não supérflua. Quando se referem a DEUS, eles O transformam num objeto submetido às próprias condições laboratoriais do ser humano. 

Devido a isso, muitos leitores de livros de autoajuda criam, em sua mente, a mentirosa divinização do poder e do bem-estar pessoal, através do pensamento positivo, ou de que o futuro está em suas mãos.

A partir daí, ao se acharem acima de DEUS, esses mesmos leitores acabam se conscientizando de que as coisas de DEUS são de pouca ou nenhuma necessidade. Assim, terminam negando o poder, a realeza e a soberania do CRIADOR DO UNIVERSO.


                                              Dantas de Sousa

Funções da palavra: MAS



Monossílabo átono
Ver, MAS não crê.
(Monossílabo tônico: Pessoas MÁS)


Homófonas: homônimas e homógrafas (ou perfeitas)
Elas são MÁS com os animais, MAS gostam de crianças.


Sinônimos de MAS
porém, contudo, no entanto, entretanto, todavia, não obstante


Substantivo / sujeito da oração
MAS indica oposição a uma ideia anterior.


Substantivo / objeto direto
Classifique MAS na  oração: Compra, mas não paga.


Substantivo / objetivo indireto
Não abuse do MAS em sua redação.


Substantivo / complemento nominal
Evite a repetição do MAS em seu texto.


Substantivo / predicativo do sujeito
A conjunção adversativa, que os alunos do ensino fundamental usam em excesso em suas redações escolares, é MAS.


Substantivo / agente da passiva
Um texto é empobrecido pelo MAS escrito em excesso.


Substantivo / aposto
A conjunção adversativa mais usada é esta: MAS.


Adjetivo / adjunto adnominal
A palavra MAS é monossílaba.


Conjunção coordenativa adversativa
Seja um jovem popular, MAS não queira ser populista.


Palavra denotativa (ideia de conclusão)
MAS, que queres que eu faça?  
(Então, E aí, Logo, Portanto, Pois)


Palavra expletiva

(MAS) deixe isso pra lá, cara. (MAS) não vai dar em nada. 

Adjunto adverbial - identificação e classificação / crônica



Chorando, Conceição buscou o auxílio da amiga de infância:

- Semana passada (tempo), Rosária, na sala de aula (lugar), eu soube que o Augusto tinha ido ao Crato (lugar), com Amélia (companhia). Os dois foram de moto (meio), no fim da tarde (tempo). De acordo com minha amiga (conformidade), ele não (negação) quis sair comigo (companhia) devido àquela besteira (causa): eu fiquei contra ele (oposição), durante uma discussão (tempo), no clube de campo (lugar).

Ontem (tempo), Rosária, ele me veio com esta desculpa: “Sinceramente (afirmação), meu amor, nunca (negação) saí com ninguém (companhia). Jamais (negação) deixarei de amar você  em todos os momentos (tempo), apesar de suas grosserias (concessão), às vezes (tempo)”.

Pois é, Rosária? Eu sempre (tempo) lutei para o bem dele (finalidade). Mesmo com bastante raiva (concessão), procuro falar bem (modo) dele. Na verdade (afirmação), estou muito (intensidade) chateada com ele, bastante (intensidade) triste e pouco (intensidade) crédula de que ele ainda (tempo) irá me reconquistar rápido (modo).

Pode ser que muitos dias virão realmente (afirmação), porém pouca chance terá o Augusto de me ver à vontade (modo). Talvez (dúvida), quem poderá dizer se ele se arrependerá, vivendo sem minha companhia (falta). Porventura (dúvida) ele arranje outra às pressas (modo).

Apesar de tudo (concessão), Rosária, eu gosto infinitamente (intensidade) do Augusto. Penso que jamais (negação) poderia viver longe (lugar) dele e sem os seus abraços (falta).

Eu sei, Rosária, que o mundo gira conforme a vontade de Deus (conformidade). Sabe o que eu decidi agora: nunca mais (tempo) vou me indispor contra ele (oposição), como também não (negação) vou morrer de tanto sofrimento (causa).


De fato (afirmação), Rosária, o Augusto é um cara muito (intensidade) legal. Em hipótese alguma (negação), quero discutir com ele, por uma tolice de homem (causa). Afinal, amigos são para as ocasiões difíceis (finalidade). Com certeza (dúvida), o Augusto deve estar pensativo. Vou lhe enviar, portanto, uma mensagem pelo celular (meio), para eu lhe mostrar que eu lhe perdoo a sua leviandade.    

Emprego de verbos (2) - textos curtos




Os policiais SUBIRAM o morro e DETIVERAM vários ladrões que AMEAÇAVAM (ESTAVAM AMEAÇANDO / ESTAVAM A AMEAÇAR) a população. Essa ação só ACONTECEU por eles não SABEREM (porque eles não SABEM)  se comportar na sociedade.



Os policiais SUBIRÃO o morro e DETERÃO vários ladrões que AMEAÇAM (ESTÃO AMEAÇANDO / ESTÃO A AMEAÇAR) a população. Essa ação ACONTECERÁ para eles SABEREM (para que eles SAIBAM) se comportar na sociedade.



Quando/Se você(s) VIR (VIREM) o(s) professor(es), DIGA-lhe (DIGAM-lhes) que VIEMOS lhe(s) PEDIR isto: não QUEREMOS na reunião aquele(s) coordenador(es) que INTERVEIO (INTERVIERAM) de modo infantil no caso.



Se/Quando você(s) MANTIVER (MANTIVEREM) a palavra, se/quando você(s) OBTIVER (OBTIVEREM) o dinheiro e se você(s) PUSER (PUSEREM) a quantia na conta da empresa, eu (nós) lhe FAREI (FAREMOS) a entrega do objeto.  



SAIA (SAI) daqui, menino. RETIRE-se (RETIRA-te) da minha frente. ANDE (ANDA) logo. Não me FAÇA (FAÇAS) de bobo. Não me JUDIE (JUDIES) nem me MAGOE (MAGOES). Não me ODEIE (ODEIES) nem INCENDEIE (INCENDEIES) a minha raiva.



Ao VER (VERES) André, FALE (FALA) bem de mim e DIGA (DIZE) para ele que eu VALHO ainda SER um amigo seu (teu).




Se ESTIVESSE comigo, eu lhe (te) ENTREGARIA. E, quando/se eu RECEBER, eu lhe (te) ENTREGAREI o mais rápido possível. Repito, caso eu RECEBA, ENTREGAREI em suas (tuas) mãos. FIQUE (FICA) tranquilo, meu amigo.

Emprego de verbos (1) - textos curtos



Ainda que vários fatores INTERVIESSEM a seu favor, estava claro que ele não PREVIRA (HAVIA PREVISTO) as consequências que ADVIRIAM de seu impensado gesto.



REQUEIRO (REQUERI) a dispensa da taxa concedida aos que REOUVERAM (REOUVERAM / HAVIAM REAVIDO), como eu, os bens que PLEITEARAM (PLEITEARAM / HAVIAM PLEITEADO).



Os ouvintes se  ABSTÊM (ABSTIVERAM) de opinar, temendo que se MANTENHAM (MANTIVESSEM) as críticas e que os ânimos não se REFAÇAM (REFIZESSEM).



Ele não PREVÊ (PREVIU) (PREVIRÁ) a seca e não PROVÊ (PROVEU) (PROVERÁ) a casa de mantimentos.



ESPERO que ele PONHA mantimentos em casa. Se/Quando ele PUSER, ele não PASSARÁ (não IRÁ PASSAR / não VAI PASSAR) necessidade. Ele e a família não PASSARÃO (não IRÃO PASSAR / não VÃO PASSAR) necessidades.   



Quando/Se você(s) VIER (VIEREM) de Recife e VIR (VIREM) Leonardo, não FIQUE (FIQUEM) surpreso(s) com nada. Ao -lo (VEREM-no), SAÚDE-o  (SAÚDEM-no) e SEJA (SEJAM) amigos dele. 




Não CHORE (CHORA), CALE (CALA). SUPORTE (SUPORTA) a sua (tua) dor. No desempenho de suas (tuas) funções, SEJA (SÊ) atencioso com todos. PROCURE (PROCURA) ser útil sempre. Mas não NEGUE (NEGUES) as suas (tuas) responsabilidades.