segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Literatura folclórica: crendices e superstições (15)



Para fazer a chuva parar
desenhar um sol no chão.


Para fazer o bebê parar de soluçar
colar na testa do bebê um pedaço de linha enrolado e molhado.


Para fazer parar de chover
Santa Clara, clareai / E a chuva embora mandai.


Para ganhar mais dinheiro
pegar seu chaveiro que contenha todas as chaves da casa. Friccione-o durante dez minutos. Em seguida, colocar as 
chaves, uma a uma, sobre a mesa de refeições, em forma de cruz. Rezar um Pai-Nosso. Realizar a simpatia às doze horas.


Para ganhar na loteria
conseguir uma estrela-do-mar pequena. Numa sexta-feira ao meio-dia, colocá-la no bolso direito.  E, no mesmo horário, ir jogar no jogo do bicho, ou comprar um bilhete de loteria. À meia-noite do mesmo dia, trocar de bolso e rezar o Pai-Nosso.


Para haver harmonia conjugal
colocar, no quarto de dormir do casal, um quadro com o retrato do casamento. Todas as noites, antes de dormir, olhar para a fotografia e repetir: "Nós nos amamos".


Para haver harmonia conjugal
pegar uma peça íntima da mulher e amarrá-la a uma peça íntima do homem, com uma fita azul e virgem. Deixar as peças debaixo da cama do casal. No dia seguinte, jogá-las em água corrente. De preferência, fazer a simpatia num dia de sexta-feira.


Para manter o emprego
acender, no primeiro dia do mês, uma vela de sete dias. Colocá-la em um pires. Embaixo do pires, colocar uma folha de papel de carta roxo. Todas as noites, enquanto a vela arder, pegar o papel e escrever: "Meu anjo da guarda, ajude-me a manter meu emprego". Quando a vela acabar, usar o papel para embrulhar um galhinho de arruda e três dentes de alho. Guardar tudo em uma gaveta, no local onde trabalha, e não contar a ninguém.


Para marido amar cada dia mais a esposa
no dia que tenha número sete (7, 17, 27), de qualquer mês, pegar trinta centímetros de fita branca (de qualquer largura). Escrever, em toda a extensão da fita, o nome do marido. Em seguida, amarrar a fita num retrato do marido. Colocar o retrato numa igreja, aos pés do santo que a esposa seja devota. E rezar, logo depois, três Salve-Rainhas.


Para marido largar a amante
pegar dois pedaços de carne. Fazer um buraco pequeno em cada pedaço. Escrever o nome da amante num pedaço de papel branco. Escrever o nome do marido em outro pedaço de papel branco. Colocar cada papel escrito dentro de cada pedaço de carne. O pedaço de carne, em que está escrito o nome dela, jogar para um gato comer. E o pedaço de carne, em que está escrito o nome dele, jogar para um cachorro comer.

Literatura folclórica: crendices e superstições (14)



Para dispensar uma visita chata
deixar uma vassoura de cabeça para baixo atrás da porta.


Para emagrecer
amarrar na cintura, por baixo das roupas, um cordão bem fininho.


Para encontrar algo perdido
Negrinho do Pastoreio, / Acendo uma vela pra ti, / E peço que me ajude a encontrar, / O objeto que perdi.


Para encontrar algo perdido
São Longuinho, São Longuinho / Me faça encontrar o que perdi / Que eu dou três pulinhos. (após encontrar o objeto perdido a pessoa deve dar três pulos).


Para encontrar algo perdido
Alma da Nhá Benta / Sem você o que eu faria? / Devolve o que perdi, / Que eu rezo três ave-marias.


Para entrar em campo e ter sucesso
o atleta deve entrar com o pé direito.


Para estancar sangue do nariz de criança
colocar uma cruz feita de palha de milho na cabeça.


Para evitar câimbra
colocar um pedaço de aço sob o travesseiro.


Para evitar dor de dente
cortar as unhas na segunda-feira.


Para evitar seios caídos
passar uma colher de pau virgem sobre os seios, nove vezes, de cima para baixo, e mais nove vezes de baixo para cima. Começar sempre pelo seio esquerdo e depois vá para o direito.

Literatura folclórica: crendices e superstições (13)



Para curar cobreiro
traçar à sua volta quatro cruzes de tinta azul, três dias seguidos.


Para curar criança com coqueluche
uma vizinha, nascida em janeiro e em estado interessante, venha acudir o doente depois da meia-noite. Deve ela dizer todas as vezes que a criança perder o fôlego: "Tosse violenta, tosse sem fim, vai-te arrebenta lá nos confins".


Para curar dor de ouvido
passar por dentro das orelhas o rabo de um gato preto. O doente deve estar em jejum, e o tratamento precisa ser repetido três vezes.
ou
limpar cuidadosamente o ouvido. Se usar cotonete, não o introduza profundamente, pois pode causar danos mais sérios. Extrair o suco de três dentes de alho ou de um galho de arruda, aquecer ligeiramente, molhar um pedaço de algodão e colocá-lo no ouvido dolorido. Repetir uma hora depois, se a dor não passar totalmente.


Para curar eczema
sexta-feira, antes do sol nascer, põe-se no meio do quintal uma bacia cheia d’água na qual, ao meio-dia em ponto, o doente lava o rosto ou outra parte afetada.


Para curar erisipela
A erisipela dá na pele, / da pele dá na carne / da carne dá no osso, / do osso dá no tutano, / do tutano vai em Roma / permita a Virgem Maria / que ela aqui não torne a dar.


Para curar íngua
colocar no bolso da calça do lado em que ela estiver, dentro de um saquinho de pano branco, três grãos de sal.


Para curar picada de abelha
passar sobre o lugar, por três vezes, uma faca de aço./Para curar sapinho de boca de criança
passar sobre a sua língua a chave do sacrário.


Para curar vários males
Quebranto, mau olhado, inveja, sol, dor de cabeça, dor nos braços, dor nas pernas, ar / grande nome é o seu / maior é o de Jesus / com dois te puseram, / com três eu tiro. / Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo / e das três pessoas da Santíssima Trindade. / Quebranto, mau olhado, inveja, sol, dor de cabeça, dor nos braços, / dor nas pernas, ar, / qualquer coisa / tudo leva pro mar sagrado, / onde não faz mal a ninguém. (reza depois um Pai-Nosso e uma Ave-Maria).


Para diminuir as estrias
misturar um pouco de mel e óleo de amêndoas e passar com o auxílio de um lenço branco limpo, nas regiões afetadas, de cima para baixo. Feito isso, enterrar o lenço num jardim com muitas roseiras floridas, de preferência com rosas brancas.

Literatura folclórica: crendices e superstições (12)


Para conseguir uma boa nota numa prova escolar
entrar na sala de aula com o pé direito.


Para conseguir um aumento no salário
pegar um pouco de fermento. Ponha-o dentro de um prato de barro. Dizer para si mesmo: "Assim como esse fermento faz crescer o pão, também fará crescer o meu salário".


Para conquistar um novo trabalho
Pegue uma foto sua recente 3x4 e escreva atrás dela o seu nome completo e a seguinte frase: "Com todas as forças do meu pensamento, daqui só saio empregado(a)". Coloque a foto em sua carteira ou bolsa e deixe lá por 7 dias. Depois, jogue-a em água corrente, rezando um Pai-Nosso e uma Ave-Maria.


Para corrigir defeito nas orelhas
toda vez que passar diante de uma igreja, colocar a mão sobre o defeito e firmar o pensamento, pedindo que seus santos protetores melhorem a aparência das orelhas. E ao chegar a casa, acender uma vela branca para os santos.


Para cortar soluço
amarrar um fiapo de palha de milho no dedo mindinho do pé esquerdo./Para crescer na profissão:
Assista a uma missa na primeira sexta-feira do mês. No final dela, coloque 3 galhos de arruda e 3 moedas antigas aos pés da imagem do santo de sua devoção. Peça ao mesmo tempo, ajuda para subir no emprego. Depois, reze um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e uma Glória ao Pai.


Para criança que tem ventre virado
agarrá-la pelos pés, virada de ponta cabeça e seus pés devem ser batidos três vezes na folha de uma porta.


Para curar bronquite
medir a altura do doente no batente de uma porta, fazendo-se ali um buraquinho onde se enfia mecha de cabelo de sua nuca. Tapar o buraco com cera ou sabão.
ou
pegar coco, devendo furá-lo naquele olho, tirando a sua água e colocando dentro mel puro de abelha. Fechar o buraco com uma rolha de cortiça. Embrulhe o coco num plástico e enterre, deixando assim por sete dias. Marcar a hora que enterrou e no sétimo dia, no mesmo horário, desenterre, dando três colheres do mel para a criança, se for adulto três colheres grandes (manhã - tarde - noite).


Para curar caxumba
caxumba, sai daqui, / que a pá de angu anda em cruz. / em cima de ti. (reza-se três vezes, com uma pá de mexer angu, aquecida ligeiramente no fogo e passada em cima da caxumba, enquanto a benzedeira diz as palavras acima).


Para curar cobreiro
Pedro, que tendes? / - Senhor, cobreiro. / - Pedro, curai. / - Senhor, com que? / - Água da fonte e erva dos montes. (benze-se com um raminho verde de vassourinha que é imerso em um copo d’água e usado como híssope, para aspergir o local afetado).

Literatura folclórica: crendices e superstições (11)


Para afugentar maus olhados
tenha em casa a planta comigo-ninguém-pode. Mas cuidado, que ela é venenosa.


Para a mulher conquistar o homem de seus sonhos
pegue um pedaço de papel branco e coloque-o sobre um prato. Desenhe um coração do tamanho do fundo do prato. Depois, recorte o desenho e escreva nas três primeiras linhas o nome do homem desejado. Em outras três linhas, escreva seu próprio nome. Coloque o desenho do coração no fundo do prato, derrame um pouco de mel sobre ele, juntamente com algumas pétalas de rosa branca. Depois, acenda uma vela branca bem no meio do prato, deixando-a queimar totalmente. Quando a vela acabar de queimar, firme o pensamento no homem desejado. Guarde o prato por sete dias. Depois, lave as pétalas e coloque-as dentro de um livro. O prato com o coração deve ser deixado num jardim onde existam espinhos.


Para a mulher se casar rápido
pegar três fios do próprio cabelo. Colocá-los debaixo do véu de uma amiga que está se casando. Não deixar que a amiga perceba.


Para a reconciliação do casal
pegar um limão galego. Levá-lo a um padre para benzer. Fazer, em seguida, um chá com limão. E procurar fazer com que o casal beba um pouco do chá.


Para arranjar marido
(após colocar Santo Antônio de cabeça para baixo no sereno amarrado em um esteio. Ou então jogá-lo no fundo do poço até que o pedido seja satisfeito): Meu Santo Antônio querido, / Meu santo de carne e osso, / Se tu não me deres marido, / Não te tiro do poço.


Para cabelo ficar mais forte
na noite de lua cheia, cortar as pontas do seu cabelo, colocar no tronco da bananeira ou em uma árvore em fase de crescimento.


Para cabelo parar de cair
pegar uma porção de capim-gordura, um litro e meio de água, e deixar ferver bem. Depois, deixar esfriar. Em seguida, lavar a cabeça com sabão de coco e, logo após, enxaguar os cabelos com a água do capim-gordura. Fazer isso três vezes por semana.


Para conseguir proteção aos maus olhados
afastar pessoas invejosas e as doenças. Na noite do dia doze de junho faça um chá com arruda, cravo da índia, canela, alecrim e manjericão. No dia treze, após o banho, jogue esse chá sobre sua cabeça e deixe escorrer por todo o corpo. Colocar um dente de alho no bolso da roupa também serve para dar proteção, pois o cheiro do alho afasta os maus espíritos.


Para conseguir sucesso no casamento
a noiva deve usar uma peça de roupa cor-de-rosa por debaixo do vestido.


Para conseguir trabalho
acender todas as velas brancas do maço aos pés da imagem de Santa Rita. Pedir à santa que lhe consiga um emprego rápido. Antes das velas terminarem de queimar, apagá-las. Embrulhá-las num pedaço de papel azul. Amarrá-las com um metro de barbante. Guardar o pacote sem dizer a ninguém onde ele se encontra. Quando conseguir o emprego, reacender as velas numa igreja, no altar. E deixá-las queimar até o fim.

Litaratura folclórica: crendices e superstições (10)


O número 7 é o número da mentira.


Os carvões que restarem podem ser enviados a parentes e amigos, pois são considerados bentos. 


Palma da mão quando coça, é surpresa que vem.


Para abrandar o gênio do marido
tomar um fígado do pássaro anum, torrá-lo e, feito o pó, colocá-lo numa bebida alcoólica para o marido, mais tarde, bebê-la sem saber de nada do que foi feito.


Para acabar com brigas de casal
pegar duas facas virgens e cruzá-las sobre a certidão de casamento do casal. Depois de três horas, retirar as facas e guardá-las embrulhadas num lenço branco.


Para acabar com celulite
abrir duas caixas de fósforo e deixar que todos os palitos caiam no chão. Depois, recolhê-los um a um, alternando as mãos, direita, esquerda, direita, esquerda, até terminar. Fazer isso por treze dias consecutivos. As caixas de fósforos devem ser as mesmas durante todos os dias da simpatia.


Para acabar com espinha
pegar três pêssegos já maduros e descasque-os de maneira que as tiras de casca sejam bem finas. Depois colocar as cascas para ferver em água filtrada, de forma que as cascas desmanchem. Colocar as cascas num prato e adicione uma colher bem cheia de mel puro. Deixar passar uns quinze minutos e lave o rosto com a água fria e sabão neutro.


Para a esposa amarrar o marido
comprar um moringa com tampa. Colocá-la debaixo de uma goteira da casa, deixando enchê-la com a água da chuva. Quando quiser ter relação sexual com o marido, é só destampar a moringa. Quando ele sair de casa, tampar bem a moringa e guardá-la bem, dentro de casa.


Para a esposa ser amorosa
comprar uma corrente de ouro. Colocá-la no pescoço dela, de preferência às seis horas da manhã ou da tarde, e quando o sino de uma igreja estiver tocando.


Para afastar os maus espíritos
colocar sal numa panela. E esquentá-la no fogo.

Literatura folclórica: crendices e superstições (9)



Na noite da véspera de São João, passa-se sobre a fogueira um copo contendo água. Mete-se no copo, sem que atinja a água, um anel de aliança preso por um fio. E fica-se a segurar no fio. Tantas são as pancadas dadas pelo anel nas paredes do copo quantos os anos que o experimentador terá de esperar pelo casamento


Na noite de São João, de 23 para 24, deve-se enfiar uma faca virgem (nova) na bananeira. No dia seguinte, de manhã bem cedo, retire a faca que nela aparecerá o nome do(a) futuro(a) noivo(a). Outra variante dessa simpatia diz que o nome do(a) futuro(a) marido/mulher aparecerá escrito no caule da bananeira. Alguns preferem ver o nome escrito no tronco da bananeira. Ainda há outra variante, mais rápida: enfia-se a faca na bananeira e, ao retirá-la, você ouvirá o nome do(a) futuro(a) companheiro(a).


Na noite de São João, escreva em pequenos papéis o nome de vários(as) pretendentes. Enrole-os e jogue-os em uma bacia ou copo d'água. O papel que se desenrolar primeiro indicará o nome do(a) futuro(a) companheiro(a).


Na noite do dia doze de junho, escreva os nomes dos seus preferidos, enrole os papeizinhos e mergulhe-os numa bacia com água. O nome que amanhecer aberto será seu futuro esposo. Dica: para saber se o noivo será velho ou moço, coloque um ramo de manjericão ao pé da fogueira. Se o mesmo permanecer verdinho é porque o noivo será moço, mas se murchar é sinal de que o noivo será mais velho.


Não se deve deixar resto de comida no prato, pois pode ser aproveitado para fazer feitiço.


Na passagem do ano, fazer três pedidos.


Na primeira dentição, ao extrair um dente, rebolá-lo em cima da casa.


Na véspera de São João, coloca-se uma pequena mesa forrada com uma toalha bem limpa, com talheres, pratos e copos para duas pessoas. Duas velas acesas à cabeceira da mesa, junto da qual fica a cama, onde deve dormir a pessoa que faz a adivinhação. O que tiver que suceder aparecerá no sonho, cujo cenário é a mesa.


No dia vinte e quatro de junho, dia de são João, pegue o primeiro ramo verde que encontrar e passe-o sobre as verrugas. Em poucos dias ficará livre delas.


O carvão que sobra depois que a fogueira apaga adquire poderes sobrenaturais. Com ele, pode-se cobrir os ovos das aves para que a ninhada seja forte e saudável.